Viva a vida boêmia!


24 de dezembro de 1989, 9 da noite.

Palavras bobas, a princípio, mas que te mudarão para sempre, se você permitir. Em pouco tempo, Mark Cohen vai te apresentar ao documentário que ele está filmando: as histórias e lutas de seu grupo de amigos, e te dizer que Roger Davis está tentando escrever uma música incrível.

E então começa uma história incrível que representa mais do que Jonathan Larson, seu criador, jamais sonhou. Nela, você vai acompanhar um grupo de oito pessoas por um ano, enquanto eles perdem e ganham muito, e tentam viver na boemia.

RENT é um musical da Broadway, que estreou em 1996, pouco tempo depois da morte de Larson. Anthony Rapp estrelava, como Mark Cohen, e uma novata chamada Idina Menzel interpretava a independente e maravilhosa Maureen Johnson.

20 anos depois, o musical continua relevante. A representação dele é algo ainda incomum, então imagine na época de lançamento! De todas as personagens, apenas duas são heterossexuais e, dentre elas, apenas uma não é HIV positivo. O musical também conta com viciados, uma drag queen, uma dançarina erótica, lésbicas…

Todas as personagens são muito autênticas e não têm vergonha de ser quem são, se expõem, e lutam para sobreviver numa sociedade que não respeita as artes. Ao contrário da maior parte dos filmes/musicais/séries, RENT mostra uma Nova York sem luxos, pessoas à beira da sobrevivência.

Desde a sua montagem inicial, RENT teve diversas outras montagens, com pessoas tão maravilhosas quanto Aaron Tveit e Renée Elise Goldsberry (a Angelica, de Hamilton), passou por várias partes dos Estados Unidos e diversos países – incluindo o Brasil.

O filme

Em 2005, Christopher Columbus, o diretor de alguns filmes como Harry Potter e a Pedra Filosofal, dirigiu a versão cinematográfica do musical. O roteiro foi assinado por um autor chamado Stephen Chbosky (SIM, o de As Vantagens de Ser Invisível), e ele trazia quase todos os atores da montagem original – as exceções, compreensíveis, são Rosario Dawson como Mimi e Tracy Thoms como Joanne.

Apesar de não ser tão fiel ao musical quanto possível, é uma excelente maneira de se conhecer esse universo e esse grupo de amigos tão maravilhoso.

tumblr_inline_mqyb1uhBpI1qz4rgp

RENT: Ao Vivo na Broadway

Assim como o que vai acontecer com Hamilton, RENT foi filmado na Broadway, com a montagem de 2008, também excelente. Sempre me admiro como a voz do Adam Kantor (o Mark Cohen da vez) é absurdamente igual a de Anthony Rapp. Como é o musical completo, não há muito o que comentar sem dar spoilers, mas preparem os lenços.

O livro

177230Anthony Rapp escreveu, em 2006, um livro de memórias, contando sobre todo o processo de pré-montagem até o momento da estreia da peça. Ele mostra as mudanças – nas músicas e no próprio musical – e as interações com o resto do elenco e da equipe.

É impossível ler sem deixar algumas lágrimas escaparem, principalmente porque o livro deixa bem clara que essa sensação de pertencimento não é algo apenas dos “RENTheads” (como são chamados os fãs do musical), mas também do elenco e algo que o próprio Jonathan Larson carregava consigo.

A pior parte é acompanhar um elenco destruído após a morte de seu diretor, mas é incrível ver como eles transformaram toda essa dor em algo fantástico: um musical que mudaria a vida de muitos, incluindo a deles mesmos.

Talvez o maior mérito de RENT seja fazer todos se acharem parte de algo. Ele te faz querer ser boêmio e viver fazendo o que você gosta e sempre sonhou, e te lembra, constantemente, que os amigos são a parte mais importante de tudo isso. Além disso, tudo bem ser um pouco estranho, você não está sozinho. Ah, isso com certeza não!

tumblr_n9yggsDkbf1s5oamyo10_1280

Compartilhe:

Sobre Ariel Carvalho

Ariel é uma lua de Urano, um espírito do ar, um sabão em pó, uma marca de carro e uma pequena sereia, mas também é uma bibliotecária carioca que não consegue terminar a meta de leitura, sabe tudo de Monty Python e chora com filmes de ficção científica.