Verdades de uma pessoa introspectiva


Texto: Nina Spim

Por muitos anos, acreditei que a minha timidez era um ponto extremamente negativo. Durante eles, recusei saídas com pessoas do meu convívio social – mais chegadas e menos chegadas – e culpei a timidez. Quando comecei a ler sobre pessoas introspectivas, percebi que a minha timidez era uma bolha que tentava me proteger dos outros enquanto a minha introspecção me salvava de situações em eu sabia que não eram para mim. Sim, eu acredito que é ótimo nos desafiarmos a algo novo todos os dias, mas a diferença mora na nossa capacidade de respeitar quem somos. Ao ler sobre pessoas que se sentem bem em estarem nas sextas-feiras à noite em casa, com o cachorro e um filme ou livro e pessoas que se sentem ótimas em não serem incluídas em grupos sociais, eu soube que estava tudo bem ser eu mesma.

Quem é o oposto de alguém introspectivo, provavelmente, não consegue entender como pode existir tanto silêncio dentro de alguém que nunca será expressado a partir de palavras verbais. A verdade é que não existe silêncio – não é o nada dentro da gente, é mais um conforto em estar em sintonia com o nosso avesso. É um novelo de lã que, pouco a pouco, desemaranhamos (nem sempre com tranquilidade). Ser introspectivo não é somente calma. É ter, talvez, mais controle do que acontece dentro da gente, sem buscar compensações exteriores. Sem precisar estar lá o tempo inteiro. É encontrar o próprio tempo, sem amarras ou acelerações. Às vezes é falar muito, sim – mas somente com quem estamos confortáveis e confiamos bastante. Às vezes, é deitar e imaginar o barulho do mar. Às vezes, é suportar situações externas como quem carrega o mundo inteiro sobre a cabeça.

Ter amigos introspectivos significa que você não vai falar em vão. Não espere sempre uma resposta – não é sempre que a gente tem uma, ou a que você gostaria que disséssemos. Significa que você vai receber notificações no Facebook sobre algo que, talvez, não se lembre de ter dito, mas que vai te deixar feliz por alguém ter se recordado. Significa que, se você precisar de um silêncio, vão respeitar isso.

Ser introspectivo significa analisar o mundo em outra frequência, às vezes com uma lupa, às vezes como um astronauta, de bem lá longe. Significa saber desacelerar, ser tachado de distante/desinteressado, ser visto como alguém que não sabe se divertir. Na verdade, apenas precisamos recarregar as energias de outro modo: desacompanhados, menos dependentes do que acontece na concretude ao nosso redor. Não fazemos isso porque queremos que os outros se afastem, mas porque precisamos estar mais conectados com nós mesmos.

Estar sozinho pode machucar, às vezes. Mas administrar isso, sabendo que não serão outras pessoas que suprirão a paz que encontramos na introspecção, é uma prática diária. Estar sozinho é um exercício de aceitação. É dizer: está tudo bem.

Compartilhe:

Sobre Nina Spim

Escritora sonhadora dotada de blue feelings. Quer muitas coisas ao mesmo tempo. Acredita nas palavras mais do que na imagem. Não acredita na divisão das casas de Hogwarts, mas tem certeza de que é 70% Ravenclaw, 20% Hufflepuff e 10% Gryffindor.

  • Stefani Porto

    Mds vc é incrível, como descreveu o contexto como um todo, de uma forma tão fácil,que sinto vontade de imprimir e sair distribuindo por ai para ver se as pessoas conseguem compreender isso s2

  • Livian Coelho

    Parabéns! Uma ótima definição, não sabia que eu era Introspectiva, vc me descreveu sem me conhecer.