“Uma canção de ninar”, Sarah Dessen


uma cançao de ninarRemy queria aproveitar seu último verão com as amigas antes de ir para a faculdade. Sem namorado, sem compromissos. Até que ela conhece Dexter. O garoto é tudo aquilo que Remy não gosta: desajeitado, impulsivo e ainda por cima músico, o primeiro item de sua lista de “garotos-para-não-namorar-nunca”. Ela não gosta de músicos porque seu pai também era um e ele abandonou a família assim que Remy nasceu, deixando para trás apenas uma música bem famosa.

Remy também não acredita no amor. Toda vez que ela se relaciona com alguém, quando a coisa começa a fica mais séria, ela arruma um jeito te terminar com o garoto e volta a ser solteira. Ela faz isso porque não acredita no amor, principalmente depois de presenciar sua mãe se casando inúmeras vezes e se divorciando algum tempo depois. Para Remy, é mais fácil terminar enquanto ainda há tempo do que se entregar e ter a garantia de que tudo vai dar errado e ela vai se machucar.

É por isso que quando Remy e Dexter ficam juntos, todas as suas amigas comentam que ela está mudando, e pior, se apaixonando pelo garoto. Remy faz de tudo para tirar isso da cabeça de todos, afinal, Remy nunca se apaixona. Ela só quer viver um amor de verão, que vai terminar assim que chegar o dia em que ela se mudará para o outro lado do país.

Por sempre observar os relacionamentos das outras pessoas, principalmente aquelas mais próximas, Remy acredita que ela nunca vai conseguir encontrar alguém e fazer durar. Ela é igual a sua mãe, difícil e complicada; má. Quando Remy vê relacionamentos que dão certo, ela acha aquilo maravilhoso, mas é uma coisa completamente alheia ao seu mundo. Amor? Não, isso passa bem longe.

E acredito que seu pai também seja um grande culpado, afinal o cara abandonou o família porque ele não sabia ser um “‘pai”. Como é que Remy vai se entregar e confiar que essa pessoa vai ficar do seu lado e enfrentar todas as dificuldades, quando seu pai não foi capaz de fazer a mesma coisa? Ele foi embora, escreveu uma música num quarto de hotel de beira de estrada e ficou por isso mesmo, fazendo essa ser a única lembrança que Remy poderia ter da pessoa que ele foi.

Uma canção de ninar, com a escrita de Sarah Dessen, é interessante porque mostra como aqueles relacionamentos que estão próximos de nós podem afetar a maneira como enxergamos o nosso próprio relacionamento. E isso é bastante comum. Várias pessoas decidem que não querem mais namorar ou casar porque presenciaram o casamento dos pais acabar, ou porque sempre estava perto daqueles namoros onde alguém tratava o outro de uma maneira abusiva, sem educação. Quantas vezes já ouvi “eu nunca vou casar porque aconteceu isso com tal pessoa e não quero que aconteça comigo também”. Observar relacionamentos alheios pode sim nos influenciar. E foi isso o que aconteceu com Remy.

Mas o amor pode dar certo ou não. Pode machucar* ou te fazer a pessoa mais feliz do mundo. O amor é capaz de qualquer coisa. E, às vezes, vale a pena arriscar, mesmo sabendo que você se machucar. Às vezes o amor vale a pena. E isso é um pensamento que eu tento manter na minha cabeça sempre. Não importa o que eu vi já vi ou vivi, o amor vale a pena.

E tudo se resumia a amor, ou a falta dele. Tudo o que arriscamos, sem saber muito bem, aos nos apaixonarmos ou nos afastarmos e nos fecharmos, protegendo nosso coração com toda a força.

Uma canção de ninar é aquele livro que faz você se sentir bem. A histórias e os personagens são extremamente cativantes. O enredo é simples, mas incrível e tocante. Além disso, a Seguinte simplesmente arrasou com a capa, que está maravilhosa e a tradução está excelente.

* Deixando claro que não estou falando de relacionamentos abusivos, porque nesses casos realmente não vale a pena. E lembrando que relacionamentos abusivos também pode são relacionamentos com a sua família ou até mesmo com amigos. Ele não precisa ser, necessariamente, um relacionamento romântico.
Se você acha que está em um relacionamento abusivo, procure ajude. E se você conhece alguém que está em um, tente conversar com essa pessoa. Qualquer tipo de ajuda é extremamente bem-vinda e pode salvar vidas.

Compartilhe:

Sobre Rovena

Rovena é de Vitória, formada em Relações Internacionais e atualmente cursa Letras-Inglês. Gosta muito de ler e ouvir música enquanto escreve. Grifinória, feminista e especialista em tretas do blink-182. Está no twitter (@rovsn).