Sobre o assombro dos ansiosos


Lembro de ter lido uma vez em algum lugar que a depressão é um problema de quem se deixa afetar demais pelo passado, e a ansiedade, por sua vez, problema de quem se deixa afetar demais pelo futuro. No caso da quote, a solução seria viver no presente. Sabemos muito bem que tanto a depressão quanto a ansiedade são doenças diagnosticadas, mas como o objetivo do trecho era ser desses motivacionais, podemos não entrar no mérito rapidinho?

Sendo uma ansiosa (não oficialmente diagnosticada) desde criança, não consegui separar os assuntos quando vi que o tema dessa edição era FUTURO. O que é o futuro? Uma grande página em branco. O que é um futuro de um ansioso? Uma grande página em branco cheia de pontos de interrogações que parecem virar monstros com a capacidade de te engolir a qualquer momento.

12751767_10208124108967792_1066048578_o

Arte: Raquel Thomé

Quando lembro da quote que citei acima, mesmo tendo certeza de que ela é problemática, não consigo não me identificar. Mesmo não oficialmente diagnosticada, sei que em um nível ou outro eu sofro de ansiedade. Nada coincidentemente, há não muito tempo que eu descobri que, de fato, sou uma pessoa que vive no futuro. A maioria das minhas emoções vem por antecedência: estou sempre contando os dias, perdendo o sono por esperar algo (bom ou ruim), batendo palmas em concordância para aquela frase que diz que o melhor da festa é esperar por ela e, estando acostumada a desmaiar quando tiro sangue, uma vez desmaiei só de receber a notícia de que faria o exame.

Não vou mentir que às vezes é interessante: curtir uma viagem por dois meses antes de ela de fato chegar é divertidíssimo. Mas amargar por dias a fio dentro do peito a angústia de alguma grande mudança porvir não é nada cômodo.

Eu me considero uma pessoa otimista, mas se tem algo capaz de enfiar esse otimismo num saco é uma madrugada (ah, as madrugadas) insone. Eu consigo, em 10 minutos, descrever cenários horripilantes para qualquer coisa que eu queira fazer. Nesses momentos, tudo vai dar errado: sair na rua, entrar num avião, dar uma festa, marcar um encontro ou simplesmente existir. Na hora que a ansiedade bate com força, o medo do futuro me deixa sem ação e não foram apenas duas ou três vezes que eu passei horas chorando e/ou perdi o apetite por causa disso. Para um ansioso o futuro é algo que às vezes a gente quer que chegue logo a qualquer custo; às vezes a gente tem certeza que só vai chegar para nos engolir sem deixar vestígios.

Como eu tenho mania de contar uma história aleatória da minha vida, fazer umas reflexões redundantes e terminar o texto com uma mensagem motivacional, acabei me lembrando de Aquarela, do Toquinho, que diz que o futuro é uma astronave que TENTAMOS pilotar (…) sem pedir licença muda a nossa vida e depois convida a rir ou chorar – e que a grande luta diária dos ansiosos é aprender que o desconhecido é, sim, algo natural, e que só o que a gente tem que fazer é respirar e encarar, juntando toda a dose de calma que encontrarmos em nós mesmos.

Compartilhe:

analubussular@hotmail.com'

Sobre Analu

Começou a ler aos 4 anos e nunca mais parou. Hoje tem 23 anos, é formada em jornalismo, continua devorando livros e passa o dia querendo escrever.