Sinais – Editorial #29


Texto: Lorena Pimentel e Luísa Granato // Arte: Gabriela Amorim

* MÚSICA TEMA TOCA *

LOCUTORA 1/LORENA: Então, acho que uma viviência de mais de dez anos na internet (e isso inclui foruns de fãs, blogs com tema de glitter e as redes sociais atuais) em deram um pouco de perspectiva sobre a importância de dividir experiências pela internet. Claro que nem sempre o que eu tenho a dizer é útil/inovador, mas acho que ter essa noção de que pode ter alguém do outro lado escutando é uma boa. Como você cresceu na internet?

LOCUTORA 2/LUÍSA: Eu cresci meio que como observadora de todos esse processos de dar opinião na internet. Eu hesitantemente contribuía com algum pouco conteúdo, fosse na era do orkut, do blog com brilho, dos fóruns de fanfic. Eu sempre tinha a vontade de criar junto, mas brecava bastante com a ideia de que minhas opiniões e criações ainda não estavam prontas pra serem jogadas na internet. Ainda tenho uma sensação estranha toda vez que compartilho coisas hoje. Qual a seu nível de contribuição: criando posts ou dando reblog?

LORENA: Acho que eu já fui mais uma pessoa que contribui. Depois de um avanço na quantidade de informações que a gente recebe, existe essa saturação de conteúdo. Hoje eu mais compartilho. Exceto aqui na Pólen ou em outros lugares em que escrevo com frequência. Mas acho que também existe uma diferença entre compartilhar algo que gosto e fazer uma curadoria de conteúdo. E tem espaços pra cada coisa. Por exemplo, no twitter eu posso estar lá falando bobagens, mas por aqui a gente tenta organizar o que estamos tentando passar com uma linha de pensamento.

* LUÍSA PERDE O SINAL. TRANSMISSÃO FAZ UMA PAUSA DE 5 MINUTOS *

LORENA: Aproveitando para o informe de que a Milena está vagando pelo deserto em busca de sinais que indiquem a hora de seu retorno.

LUÍSA: Todo lugar na internet hoje tem essas opções também: criar um novo conteúdo ou passar algo para frente. E fica complicado entender quem é que fala o que, de onde vem cada conteúdo. Tanto que as vezes parece que até se perde o significado de tanto que as coisas saem de contexto. Afinal, uma opinião originalmente era irônica ou só horrível mesmo […] Talvez seja isso que faça as pessoas perderem a noção de que por trás de tudo na internet tem outra pessoa, criando e comentando, ou que o que elas jogam na internet não tenha consequências.

* SOM DE FUNDO: LUÍSA PEDINDO ALMOÇO *

LORENA: E essa noção de o que estamos criando, repassando, dividindo chega a outras pessoas acho que é nossa deixa para o tema de abril.

LUÍSA: Esperamos que vocês recebam nossos sinais.

* MÚSICA-TEMA TOCA *

Aproveitando a deixa radiofônica pra lembrar vocês de que a Pólen tem um podcast. Pois é, se você ainda não conhece, vai lá escutar, a gente se diverte fazendo 🙂 Não confirmamos nem negamos que parte do nosso plano nesse editorial era convencê-los a ir lá ouvir.

Compartilhe: