Redação: Minha família


Texto: Palome Engelke // Arte: Gabriela Amorim

Aluna: Gabriela – 2ª série – Turma 201

Querida professora,

Eu tinha feito a redação com o tema que a senhora pediu, fiz até um desenho que mostrava eu, minhas mães e meu irmão passeando com algumas árvores em volta, mas então o João Pedro me contou que minha família não é mais família.

Na verdade, eu fiquei bem confusa. Sabe, eu sempre achei que tivesse família. Minhas mães fazem tudo igualzinho o pai e a mãe da minha amiga Isabele fazem (eu mesma que vi, quando dormi na casa dela nas férias), mas o João Pedro disse que família só pode ter uma mãe e tem que ter um pai também. Eu não tenho nenhum pai, e não quero escolher só uma das minhas mães, então acho que prefiro ficar sem família mesmo.

Ontem antes de dormir, eu pedi para a minha mãe Aline me explicar o que aconteceu e por que a nossa família não é mais família. Ela disse alguma coisa sobre alguma lei e sobre um monte de homens brancos de terno que às vezes vão para uma sala e fazem um monte de besteira, mas eu não entendi muito bem. Ela garantiu que nós vamos continuar sendo uma família e que nada vai mudar, e aí eu fiquei mais confusa. Eu tenho certeza que ela falou um palavrão quando saiu do meu quarto (mas ela não sabe que eu ouvi).

Eu não queria mentir para a senhora, então achei melhor contar a história toda e pedir desculpas por não poder escrever essa redação. É um tema muito complicado, como a senhora deve saber. Quem sabe da próxima vez a senhora me deixe escrever sobre unicórnios, porque eu adoro unicórnios e ganhei um pijama de unicórnios de aniversário.

Para terminar, só queria pedir que a senhora não contasse nada disso para ninguém, porque eu tenho medo que os homens de terno descubram onde a gente mora e venham me levar embora, ou forcem minhas mães a irem morar em casas separadas e eu tenha que ir morar com uma e meu irmão com a outra. A Larissa disse que ter pais separados às vezes é legal e que ela tem dois quartos e dois bolos de aniversário, mas se eu só vou poder ter uma mãe, acho que também não vou poder ter dois quartos. Além disso, eu e meu irmão gostamos das nossas mães juntas, e elas também preferem assim também. Fica sendo um segredo nosso. Principalmente, não conta nada para o João Pedro, ele é um chato que adora implicar comigo.

Um beijo e eu gosto muito da senhora,

Gabriela.

[Texto real escrito em um futuro hipotético.]

Compartilhe:

paloma.engelkemuniz@gmail.com'

Sobre Paloma Engelke

Paloma Engelke é carioca de nascença, advogada porque a vida quis, leitora e escritora porque sim, mas em geral ainda busca seu lugar ao sol. Vive no mundo da lua e se dá muito bem com os vizinhos, mas de vez em quando desce aqui e ali para dar uns alôs.