Os muitos mundos infantis de Neil Gaiman


Texto: Ariel Carvalho

Sempre que encontro alguém que nunca leu Neil Gaiman, fica difícil explicar para essa pessoa o que ele escrevo. “Tudo” é inclusivo demais, mas listar quadrinhos, ficção infantil e literatura fantástica ainda não engloba tudo o que ele escreve.

Me propus, esse mês, a falar sobre os mundos que Gaiman criou para as crianças. Minha própria introdução ao mundo dele foi através de “Coraline”, quando eu tinha uns 11 anos, e hoje eu tenho muito carinho por esse homem.

Neil é defensor da ideia de que as crianças devem ler o que gostam, que não existem livros ruins para elas. Ele mesmo escreve livros que já foram considerados como “pesados” para o público infantil.

Nessa categoria, eu incluo Coraline (que foi resenhado pela Dora na edição 06, Memória) e João e Maria. O último é uma nova versão do clássico, um dos mais recentes dele e é todo em preto e branco, com desenhos sem cor de Lorenzo Mattotti.

hg-g-gb_pp-30-312

E, é claro, O Livro do Cemitério, que é, talvez, o mais obscuro da lista. Ele acompanha um bebê que fugiu de um assassino que matou seus pais e sua irmã. É o tipo de livro que agrada quem lê Goosebumps e é fanático por terror desde pequeno.

Um livro bem colorido e bem lindo é O Dia de Chu, que acompanha o pandinha que dá nome ao livro. Quando ele espirra, coisas ruins acontecem. Chu fez tanto sucesso e é tão querido que Neil escreveu mais dois livros nesse universo: O Dia de Chu na Praia e O Primeiro Dia de Aula de Chu.

ng10-thumb-600x608-33399Gaiman se juntou a Charles Vess e escreveu dois livros que ganharam ilustrações dele: Instruções é um poema que virou livro, e explica como agir caso você se encontre em um conto de fadas. Menina Iluminada também era um poema, uma “prece à menina iluminada”. É o tipo de livro que você lê para alguém que vá ter uma filha, ou para uma garota bem nova. O mais interessante é que, por serem poemas, você encontra vídeos do próprio Neil os lendo.

Outro companheiro de Neil é Dave McKean. Os dois escreveram juntos obras como Sandman e o próprio Livro do Cemitério, mas também escreveram Cabelo Doido – que faz jus ao nome e conta a história de uma pessoa com um cabelo tão doido que todo o tipo de coisas ocorre por lá -, O Dia Em Que Troquei Meu Pai Por Dois Peixinhos Dourados – um garoto literalmente troca seu pai pelos peixinhos do amigo e depois tem que recuperá-lo – e Os Lobos Dentro das Paredes – onde uma garota tem certeza ABSOLUTA de quem os lobos moram dentro das suas paredes, até que eles realmente saem de lá (suspeito que Neil conte essa história para seu filho recém-nascido). Algumas edições de Coraline também contam com as ilustrações de McKean, que possui um estilo muito próprio e um pouco obscuro.

excerpt_crazyhair

Um pedaço de Cabelo Doido

Em O Alfabeto Perigoso, Gaiman apresenta sua história em ordem alfabética. O livro acompanha duas crianças que vão para um mundo subterrâneo. As ilustrações ficaram por conta de Cris Gimly, que fez seus desenhos em um tom sépia bem diferente do que costumamos ver em livros infantis. É interessante ver como a tradução se manteve fiel ao conceito original da história e não mudou o sentido do que é contado.

Já Odd e os Gigantes de Gelo acompanha um menino norueguês e suas aventuras para derrotar os Gigantes de Gelo e trazer de volta a calma ao seu vilarejo, acompanhado de um urso e uma águia.

O lançamento mais recente, aqui no Brasil, é A Bela e A Adormecida, outra nova versão de um clássico da literatura infantil. Dessa vez, não é o príncipe que acorda a princesa, mas sim outra princesa.

SleepingPrincessMeu favorito da lista é Fortunately, the Milk, que deve virar filme em breve. Colorido e divertido, ele conta a história de um pai que sai para comprar leite e as coisas malucas que acontecem com ele até que consiga voltar para casa. Ele tem uma narrativa um pouco Dr Seuss, e trouxe de volta aquela sensação de infância que todos gostamos.

Muito amorzinho!

Muito amorzinho!

Para escrever esse artigo, tive o prazer de reler esses livros. Apesar de não ser mais criança, ainda fico encantada com as histórias e personagens de Neil Gaiman. Espero que todas as crianças (e não-crianças) também se encantem.

Compartilhe:

Sobre Ariel Carvalho

Ariel é uma lua de Urano, um espírito do ar, um sabão em pó, uma marca de carro e uma pequena sereia, mas também é uma bibliotecária carioca que não consegue terminar a meta de leitura, sabe tudo de Monty Python e chora com filmes de ficção científica.

  • Nina

    O Oceano no Fim do Caminho não é infantil, mas é o primeiro livro do Gaiman que vou ler. Estou bem animada! Quero muito ler esse da princesa e Coraline!
    Amei o post, parabéns!