Os ingredientes de uma leitura de verão


Texto: Sofia Soter

Mesmo que eu já seja formada na faculdade e não viva mais pelo ano escolar, verão ainda tem cara de férias. É época de praia, piscina, sol, derreter na frente do ar-condicionado, se alimentar principalmente de sorvete. É, também, a época perfeita para aqueles livros que a gente não consegue largar, que foram feitos para ler de uma vez só, sem as interrupções do trabalho, dos estudos. Vocês sabem do que estou falando: aquele romance com um ship tão apaixonante que você pre-ci-sa saber se eles ficam juntos no final, aquele thriller tão assustador e misterioso que vai te dar pesadelos se você não souber a resolução logo logo, aquele livro de fantasia e aventura que te transporta para terras distantes em que seu personagem favorito está em extremo perigo e você não vai aguentar parar sem saber se ele sobrevive.

Se você não sabe do que estou falando, tudo bem, porque estou aqui para explicar. Não só para listar exemplos, mas para tentar destrinchar alguns dos elementos que fazem essas leituras serem perfeitas para dias de verão com muito filtro solar e o cheiro de maresia no ar.

 

#1: MISTÉRIO

Não falo só de livros policiais, mas também de aventuras, de livros de fantasia, de livros em que um personagem tem um enorme segredo. Mistério e a promessa de desvendá-lo é um dos principais fatores para não conseguir largar um livro de jeito nenhum, para ele ser mais envolvente e atraente do que um mergulho na água gelada. Melhor ainda é tentar desvendar junto com a história, achar as pistas no caminho. Não vale, nessa categoria, aquele livro que só tem uma reviravolta final sem indícios – o que importa é a expectativa.

Algumas dicas: qualquer um da Megan Abbott (Dare me, The Fever, The end of everything, You will know me), qualquer um da Gillian Flynn (Garota exemplar, Objetos cortantes, Lugares escuros), Mentirosos, da E. Lockhart.

 

#2: <3 OTP <3

Por um casal muito shippável eu aguento quase qualquer história. Sabe, aqueles personagens que têm tanta tensão romântica e sexual entre eles que você quer trancar os dois juntos até eles se resolverem? Aqueles romances que estão tão óbvios e meu deus do céu pelo amor de deus se beijem logo e AH NÃO NÃO ODEIO MAL-ENTENDIDOS e AAAAAAH sim finalmente!!!! e aí você sai correndo pela casa dando pulinhos porque esse casal de personagens fictícios que você nem sabia que existiam duas horas atrás finalmente se beijaram? Sim? Não? Só eu?

Algumas dicas: Carry On, da Rainbow Rowell; a trilogia All in the Game, da Nora Sakavic; Aristételes e Dante descobrem os segredos do Universo, do Benjamin Alire Sáenz; Juniper Lane, da Kady Morrison.

 

#3: FACILIDADE

Olha só, livro para ler de uma tacada só, livro para ler na beira da piscina com os pés na água, tem que ser fácil de ler. Não é para ser um livro em que a gente para a cada três páginas para procurar algo no Google, não é para ser um livro com uma estrutura ou uma linguagem muito complexas e fora do que estamos acostumados, não é para ser aquele livro que você sente que precisa ler para se informar e ser mais culto. Claro que o grau de dificuldade ou facilidade de um livro varia de pessoa para pessoa, mas o que importa é que a leitura seja tão fácil que não seja necessário parar – seja para ler de novo um trecho, procurar algo no Google ou ainda pensar “wow, que bela frase, tão bem construída, excelente escrita, wow” e se perder da história.

Algumas dicas: Anna e o beijo francês, da Stephanie Perkins; Os bons segredos, da Sarah Dessen; Cadê você, Bernadette, Maria Semple.

 

#4: SIMPLICIDADE

Parece repetição do #3, mas estou me referindo a outra coisa. Esses livros funcionam melhor se a história for simples o suficiente (mesmo com mistérios e tensão e segredos e reviravoltas) para tudo fazer sentido no final, sem precisar reler capítulos, lembrar de detalhes insignificantes de duzentas páginas antes, ir atrás de resenhas elaboradas na internet para garantir que entendeu. Isso significa que não ter personagens demais é uma qualidade para esse tipo de leitura, assim como não ter ambientes demais, ou enredos paralelos demais. Eu também acho que livros únicos, que não são parte de séries, funcionam melhor para essas leituras – a não ser que a série seja curta (trilogia, no máximo) e de livros não especialmente gigantescos, e que possa ser toda lida de uma vez; se for só começar uma série, se os livros não tiverem todos sido públicos, se precisar ler mil e trezentas páginas para entender, a simplicidade se perde.

Algumas dicas: Fangirl, da Rainbow Rowell; The girls, da Emma Cline; Luzes de emergência se acenderão imediatamente, da Luisa Geisler; Savage creatures, da Natalie Wilkison.

 

E para vocês, quais são as características principais que um livro precisa ter para ser uma boa leitura de verão? Quais são os melhores livros que vocês sugerem para ler na beira da piscina?

Compartilhe:

sotersofia@gmail.com'

Sobre Sofia

Sofia tem 25 anos, mora no Rio de Janeiro e se formou em Relações Internacionais. É escritora, revisora, tradutora e editora, construindo passo a passo seu próprio império editorial megalomaníaco. Está convencida de que é uma princesa, se inspira mais do que devia em Gossip Girl, e tem dificuldade para diferenciar ficção e realidade. Tem igual aversão a segredos, frustração, injustiça e injeções. É 50% Lufa-Lufa e 50% Sonserina.

  • Morgan Matson também é ótima para ler na beira da piscina, principalmente Since You’ve Been Gone, pois tem uma vibe aventura-bucke-list, ship fofo, amizades e um pouco de mistério.

    Adicionando Juniper Lane na tbr, pois amo amo amo todos os outros livros/ships da categoria.

    ps: acabei de ler a sinopse e parece ser maravilhoso.

  • Ariel Carvalho

    Minha leitura de verão favorita é The Luckiest, da Mila McWarren. Tem reunion, tem um OTP fantástico, tem amizades, tem um casamento!!!