Oito dias por semana: as turnês complexas dos Beatles


Texto: Ariel Carvalho

Os Beatles chegaram aos Estados Unidos em 1964, e encontraram adolescentes desesperadas e completamente acometidas pela Beatlemania. Em sua primeira visita, em fevereiro, passaram por programas de televisão e fizeram algumas apresentações.

Quando voltaram, em agosto, ficou claro que a banda atingira um nível de fama e de histeria em massa que nenhuma banda conseguira antes. E também ficou claro que os equipamentos de som usados nos shows não eram suficientes: a banda mal conseguia se ouvir nas apresentações, por culpa dos gritos histéricos.

Além disso, os seguranças não sabiam bem como conter os ânimos da plateia, e vários incidentes eram reportados. Os Beatles estavam acostumados a shows pequenos, em bares e pubs, e agora precisavam lidar com estádios recheados de pessoas que queriam estar mais perto deles.

Todo esse frenesi acabou transformando a experiência de fazer shows para a banda. Os quatro começaram a detestar fazer shows, até porque as turnês tinham cada vez mais datas, mais obrigações a cumprir, e ficava cada vez mais difícil subir ao palco.

maxresdefault

É essa realidade que Ron Howard explora no documentário “Eight Days A Week: The Touring Years”. Através de depoimentos de todos os Beatles (sim, ele escavou os arquivos para encontrar filmagens de John e George, hoje falecidos) e de pessoas próximas a eles e à realidade das turnês, ele expõe todas as dificuldades e as alegrias de passar “oito dias por semana” com sua banda na estrada.

O diretor mostra como, apesar de complicados, os shows dos Beatles eram grandes eventos para os fãs (Sigourney Weaver e Whoopi Goldberg dão depoimentos de arrepiar) e como, em meio à segregação racial dos Estados Unidos, a banda se recusava contratualmente a fazer shows segregados.

Ao longo do filme, o espectador acompanha realmente toda a história dos Beatles, da ascensão à popularidade até o momento em que decidem parar as turnês e, finalmente, ao icônico show do telhado da Apple.

rooftop

Em pleno 2016, quando acreditávamos que todas as questões referentes aos Beatles já haviam sido exploradas em documentários, Howard traz uma linha do tempo bem estruturada e estudada extensamente de todas as apresentações ao vivo da banda. É um ótimo filme para os fãs conheceram mais a fundo esse lado dos Beatles e relembrar shows importantes de sua carreira, mas também para aqueles que não conhecem a banda muito bem e têm curiosidade de saber como era a Beatlemania.

“Eight Days A Week: The Touring Years” comprova que, apesar dos anos, os Beatles são mesmo imortais.

Compartilhe:

Sobre Ariel Carvalho

Ariel é uma lua de Urano, um espírito do ar, um sabão em pó, uma marca de carro e uma pequena sereia, mas também é uma bibliotecária carioca que não consegue terminar a meta de leitura, sabe tudo de Monty Python e chora com filmes de ficção científica.