‘Memórias de um amigo imaginário’, Matthew Dicks


   Original: Memoirs of an imaginary friend
   Autor: Matthew Dicks
   Editora: iD
   Nota: 5 estrelas

‘Memórias de um amigo imaginário’ é o terceiro trabalho do autor e foi publicado em 2012 nos Estados Unidos e aqui no Brasil.

Conhecemos Budo, o amigo imaginário de Max, uma criança de nove anos que tem uma doença que Budo diz não saber qual é, mas nós leitores podemos reconhecê-la como autismo. Durante a história vamos aprendendo como é a vida  dos dois amigos e como qualquer mudança pode prejudicar Max. Ele não gosta de ser tocado e em situações complicadas pode travar e se retrair para o seu próprio universo. Budo é o único que consegue ajudar Max nessas situações pois ele sabe como agir e conhece muito bem o menino, já que ele é fruto de sua imaginação. Um dia, algo terrível acontece com Max e Budo é o único que pode salvá-lo, mesmo que durante esse processo ele deixe de existir. Porém, guiado por seu amor por Max, Budo ignora qualquer perigo e parte em busca do seu único e grande amigo.

O livro nos mostra a rotina de Budo com Max. Temos Budo e Max em casa e na escola. Budo conta como é ser o amigo imaginário de uma criança com autismo. Ele faz comentários acerca do comportamento dos pais de Max e como eles poderiam agir para ajudar ainda mais o garotinho. Também conhecemos a vida dos dois na escola: Max com suas aulas, colegas e professores; Budo com os outros amigos imaginários e a constante preocupação com o bem-estar de Max.

O nosso narrador, Budo, é uma personagem incrível. Budo é um mistura de todos aqueles sentimentos que carregamos quando somos crianças, mas em alguns momentos, ele consegue capturar a malícia do adulto. O amigo imaginário de Max é mais esperto do que os outros amigos imaginários e é o que mais se assemelha à um humano de verdade. Além disso, enquanto Max dorme, Budo ganha vida própria e sai para fazer os seus passeios noturnos.

Max é uma criança adorável que nos conquista logo de cara. O autor soube fazer muito bem o desenvolvimento do garoto com o passar das páginas. No final do livro, ele não se parece em quase nada com aquela criança a quem fomos apresentados inicialmente.

A história começa de uma forma inocente e delicada, mas logo ganha ares de suspense e nos deixa apreensivos, coisa que eu definitivamente não estava esperando. O final é surpreendente e emocionante, capaz de fazer qualquer pessoa derramar uma lágrima ou duas – ou até mesmo dizer que está com um cisco no olho.

O autor disse uma vez que estaria trabalhando em uma continuação para esta história. Apesar de não saber se isso realmente vai acontecer ou como funcionaria, já estou ansiosa pois tenho certeza que ele será capaz de me emocionar novamente.

Compartilhe:

Sobre Rovena

Rovena é de Vitória, formada em Relações Internacionais e atualmente cursa Letras-Inglês. Gosta muito de ler e ouvir música enquanto escreve. Grifinória, feminista e especialista em tretas do blink-182. Está no twitter (@rovsn).