Jessica Huang, maternidade, aprendizado e Fresh Off The Boat


Texto: Priscilla Binatto

Primeiramente, Fora Temer.

Agora que deixamos isso de lado, podemos falar sobre uma das melhores séries de comédia que está passando atualmente na televisão. Fresh Off The Boat é, de forma bem simples, um seriado que se propõe a contar a vida dos Huang. Eles eram uma família que morava em Chinatown, Washington, e então se mudaram para um bairro de subúrbio, primariamente branco, da Flórida. Isso tudo ainda melhora tendo em vista que a série se passa nos anos 90. Os pais são Louis e Jessica Huang – nascidos e Taiwan mas que se conheceram quando já moravam nos Estados Unidos – e eles tem três filhos: Eddie, Emery e Evan. Além dos cinco, ainda mora na casa a avó, conhecida somente como Grandma Huang. Eu já falei um pouco sobre a série no meu blog pessoal, mas queria abordar um aspecto um pouco diferente aqui.

Aqui, eu queria falar sobre como Jessica Huang é uma mãe maravilhosa.

Jessica é a mãe desse núcleo familiar. Ela é uma mulher forte, protetora e que nunca deixa de lado os seus valores. Desde que sejam valores da sua cultura, da sua tradição ou valores que ela acredita com muita força – como o valor de se economizar todo o dinheiro possível e imaginável. Ela acredita em nunca gastar com nada. Seja com toalhas, com comida extra, com gastos dispensáveis, qualquer coisa. Na questão do dinheiro, ela é ainda mais controladora, sendo a chefe da casa, literalmente. Tudo tem que passar por ela e a sua maior diversão é fazer as contas da casa e do restaurante.

Uma das melhores tramas dela é na segunda temporada, quando ela, sua melhor amiga e a avó dos meninos compram uma casa para renovarem e decidem vender a casa. Nisso, as três enfrentam vários problemas na casa desde insetos ou vândalos do dia das bruxas. Quando chegou a hora de vender, Jessica desiste ao saber que o homem que iria comprar estava planejando comprar para alugar… Porque ela mesma decidiu que iria alugar o apartamento. Obviamente, isso dá em vários problemas, já que Jessica não entende nada sobre a lei imobiliária. Mas ela acredita que entende e isso é suficiente, porque ela é maravilhosa.

Inclusive, o melhor momento RELATIONSHIP GOALS da série é quando há essa quote:

Isso só pode ter sido um efeito do permanente da vitória que ela fez, certamente.

Eddie é o personagem principal da série, o filho mais velho, e ele acaba sofrendo mais do que os outros com o controle de Jessica. Eddie tem um estilo diferente da família, ele é fascinado por hip hop, rap e a cultura negra – algo totalmente inverso, na cabeça de Jessica, da cultura que ela queria que o seu filho seguisse, a sua. Eles brigam, mas fazem as pazes. Eles discutem, mas no final ou Eddie ou Jessica aprendem uma lição. Geralmente Eddie aprende uma lição, porque Jessica nunca está errada. Nunca. Jamais. Um exemplo perfeito de lições que Eddie aprendeu:

         

Pessoalmente, eu imagino que não gostaria de ter Jessica como mãe, mas isso não quer dizer que ela não seja divertidíssima de assistir. O mais importante sempre que consumimos um produto cultural, afinal, é pensar sobre ele. É refletir no seu valor para a sociedade. Enquanto Jessica é uma mãe que reprime os gostos do filho, ela também é criticada por isso pelos olhos da audiência e as vezes até quando Eddie tira a nota mais baixa possível, isso é mais importante para a sua mãe do que ele tirar um notão, como no episódio maravilhoso da primeira temporada em que eles tem várias discussões sobre o valor da herança cultural chinesa. Isso tudo porque os meninos tinham um trabalho na escola que precisavam representar um país e Eddie escolhera ficar com a Jamaica. Mas, no final, ele tira um F porque passou tempo demais ensinando para o seu amigo sobre a China, como sua mãe queria que ele fizesse, para fazer o seu trabalho sobre a Jamaica. Jessica coloca o trabalho dele no lugar de honra, na geladeira, com orgulho. E eu fiz o que? Eu sofri de amores.

A realidade é que apesar dos erros, Jessica sempre me lembra que nós estamos todos em um constante aprendizado. Toda vez que ela toma uma decisão que eu não esperava, eu aprendo uma coisa nova e ela também. Toda vez que a Constance Wu (atriz que a interpreta) é uma pessoa incrível nas redes sociais, eu aprendo uma coisa nova. Toda vez que Jessica, montada em estereótipos sobre mulheres asiáticas, desmonta um deles, eu aprendo e ela também.

No final, a série pode ser sobre Eddie, mas se você for assistir vai ser por Jessica. Ela é o brilho do colorido por do sol dessa série e todos merecem adorá-la.

Compartilhe:

priscillabinato@gmail.com'

Sobre Priscilla Binato

Uma carioca de coração, 21 anos completos em janeiro e gateira como profissão (ou ao menos um sonho). Estudo jornalismo e estou quase me formando, mas tenho aspiração de escrever como profissão. Detesto sushi, pizza, Senhor dos Anéis, Game of Thrones e muita coisa que todo mundo acha legal, to nem aqui. Sou lufana de coração e de alma, 100%, além de feminista, assexual e chata do rolê.