Iluminado


Texto: Larissa Siriani // Arte: Raquel Thomé

Tem gente que parece que tem luz própria. Todo mundo tem, eu suponho; mas, ainda assim, há aqueles que parecem brilhar mais.

Tem gente que é feito estrela. Gente que é sol, e não lua, que ilumina e não apenas reflete a luz que recebe. Aquele tipo de pessoa que te dá vida, que faz você observar o melhor de si mesmo, até quando você acha que é impossível.

Tem gente que é farol em dia escuro. Gente que te guia pra fora de tempos difíceis, que sabe exatamente o que dizer e quando dizer. Pessoas que apenas sabem do que você precisa, que te confortam, que te levam de volta ao seu porto seguro.

Tem gente que é fogareiro. Que brilha tanto e tão intensamente que, às vezes, se apaga. Gente cujo calor e luz te atraem de maneira inexplicável, que te envolvem sem que você perceba, e que, às vezes, mesmo sem querer, acabam te machucando com a força da sua luz.

E tem gente… tem gente que é sorriso. É o melhor tipo de luz, se você me perguntar. São pessoas que tem luz sincera, aberta, ampla, que mudam seu dia só de olhar pra você. Gente que é estrela e farol e fogareiro, e algo mais que não tem nome. Gente que te abraça. Gente que te conforta. Gente que te diverte. Gente que te ilumina, só por ser.

Esse post é parte da proposta da edição 31, ou seja, foi escrito depois da arte ter sido feita e com inspiração nela. 

Compartilhe: