‘Filme noturno’, Marisha Pessl


   Original: Night Film
   Autora: Marisha Pessl
   Editora: Intrínseca
   Nota: 5 estrelas

Na primeira vez que ouvi falar de Filme Noturno, ele era indicado aos fãs da trilogia Millennium e do maravilhoso Garota Exemplar. Sem pensar duas vezes, coloquei o livro na minha lista. Demorei um pouco para ler e quando finalmente tive a oportunidade, fiquei me perguntando por que não fiz isso antes.

A história de Filme Noturno começa quando Ashley Cordova é encontrada morta e o mundo do cinema é abalado. A polícia acredita que a garota se suicidou, mas um antigo “inimigo” da família, o jornalista Scott McGrath, tem certeza que há algo por trás. Ele vai em busca de respostas, encontrando pessoas que podem ajudá-lo e outras que só estão ali para tirá-lo do caminho certo. Entrar no mundo de Ashley significa entrar mais uma vez no mundo de Stanislas Cordova, um recluso diretor de filmes de terror. McGrath tem medo do que pode encontrar pela frente, mas a sua curiosidade é ainda maior do que tudo que ele pode sentir.

O livro conta com recortes de jornal, páginas da internet, documentos da polícia e hospitais, fotos e bilhetes manuscritos. Eu adoro quando os livros têm esse tipo de material. Sinto que a história é um pouco mais real, além de contribuir para o mistério. Nesse caso, os jornais e páginas da internet têm informações que não são dadas na história e assim podemos ficar sabendo mais sobre as personagens, seus medos e motivações.

Filme Noturno é pesado e sombrio. Eu adoro coisas assustadoras, mas tento fugir delas exatamente porque sei que depois vou ficar uma semana com medo até da minha sombra. Talvez meu maior erro tenha sido ler antes de dormir, porque eu fiquei bastante assustada.  As descrições dos filmes de Stanislas e dos bastidores eram surreais. O que as personagens em seus filmes sentiam era sofrimento real ou fictício? A que ponto o diretor chegava para conseguir alcançar a perfeição em suas obras?

Mas o medo do livro não fica só nos filmes de Stanislas. A história tem uma pegada um pouco sobrenatural, com pactos, sacrifícios, feitiços e uma mansão misteriosa no meio do nada. Durante uma semana, dormi em posição fetal e completamente escondida pelas cobertas. É assim que eu sei que um livro funcionou comigo e merece todas as estrelas do universo.

No começo da história imaginei que seus filmes se assemelhavam um pouco àqueles de Alfred Hitchcock, mas se este é o mestre do suspense, Stanislas é o mestre do terror. Vi algumas pessoas comentando que Cordova poderia fazer parte do grupinho de David Lynch, Lars von Trier, Stanley Kubrick e Dario Argento (e seu filme Suspiria).

Se você está em busca de um suspense policial com um ar um pouco mais sobrenatural, esse é o livro para você. Entre também no aterrorizante mundo de Stanislas Cordova, confunda a realidade com o imaginário e chegue a sua própria conclusão do que realmente aconteceu.

Compartilhe:

Sobre Rovena

Rovena é de Vitória, formada em Relações Internacionais e atualmente cursa Letras-Inglês. Gosta muito de ler e ouvir música enquanto escreve. Grifinória, feminista e especialista em tretas do blink-182. Está no twitter (@rovsn).