‘Eu sei porque o pássaro canta na gaiola’, Maya Angelou


“Não existe agonia maior do que guardar uma história não contada dentro de você”

Falar sobre o livro “Eu sei porque o pássaro canta na gaiola” é falar sobre a incrível mulher por trás dele. Maya Angelou foi poeta, dançarina, atriz, roteirista, ativista dos direitos civis e escritora. Ela é uma dessas mulheres maravilhosas que fizeram e conquistaram de tudo quando todas as portas estavam fechadas para elas. E esse é seu livro autobiográfico e sua primeira obra literária.

Acompanhamos a história da menina Marguerite Ann Johnson, mais conhecida como Maya e nascida em 1928, crescendo na casa de sua avó de fé e moral inabaláveis, no estado do Arkansas, sul dos Estados Unidos, nos tempos da segregação racial no país.

Junto com seu irmão mais velho Bailey, em meio ao abandono por seus pais divorciados, ela tenta se adequar à nova vida, com tradições religiosas e preconceito, também com seu sentimento de inadequação, sua timidez e insegurança.

Convivendo com a exclusão e perseguição aos negros nas décadas de 1930 e 1940, no mercado da avó, ela ouve as histórias dos trabalhadores dos campos de colheita de algodão. Aos poucos criando consciência, ela cresce se sentindo uma criança feia e excluída, buscando refúgio nos livros, poesias e seu irmão. Tudo só piora durante a época que volta a morar com a sua mãe e sofre abuso sexual pelo namorado dela.

“Se crescer é doloroso para uma garota negra sulista, ter noção de seu deslocamento é o enferrujado da lâmina que ameaça a garganta. É um insulto desnecessário”

As memórias são traumáticas, o livro não é feliz, porém ele é extremamente íntimo e sensível. Às vezes, a vida de Maya até parece surreal, terrível ou fantástica. Porém ela é sempre real, com delicadeza mostrando a sabedoria que adquiriu com frases inspiradoras.

É um prazer crescer e sofrer com a escritora, ver seus traumas superados e ela se tornando dona de si. Sua visão inocente de criança se transforma em pensamento crítico sobre sua posição social como mulher negra, desafiando as barreiras que lhe são impostas.

A leitura e história de Maya Angelou vão ficar comigo, cada experiência e frase sábia apoiando a independência de todas as mulheres e inspirando para acabar com obstáculos. Vale a pena ler e descobrir, afinal, o que faz um pássaro preso cantar.

“Busque as coisas que você ama fazer, e então faça-as tão bem que as pessoas não consigam tirar os olhos de você”

Compartilhe:

Sobre Luisa Granato

Luísa é jornalista e eterna potterhead. Sua casa é a grifinória, mas ela lê como uma corvinal e podia ser a Luna Lovegood. Viajante (inclusive do espaço e do tempo), ela ama ficção científica e histórias fantásticas.

  • rooxy

    antes era vontade de ler, agora é necessidade <3