‘Cuidado com o lado sombrio da força’, Tom Angleberger


Original: Beware the Power of the Dark Side!
Autor: Tom Angleberger
Editora: Seguinte
Nota: 5 estrelas

A nossa última aventura com Leia, Han, Chewbacca e Luke acontece no Cuidado com o lado sombrio da força, livro que corresponde ao episódio VI – O retorno de Jedi, da trilogia clássica de Star Wars.

Nesse livro, o grupo de melhores amigos (#squadgoals) tem como objetivo resgatar Han Solo das garras do malvado Jabba, o Hutt. Para isso, eles mandam os droides C-3PO e R2-D2 e depois começam a agir um por um, mas é claro que tudo dá errado. É aí que Leia é capturada e feita de escrava; Luke vira um prisioneiro e é sentenciado à morte. Porque se Jabba quer, Jabba tem. Enquanto isso, o imperador Palpatine continua com os seus terríveis planos e está construindo uma segunda Estrela da Morte, dessa vez muito mais poderosa do que a primeira. Ele quer, com essa nova estação bélica, acabar com o que sobrou da rebelião – além de conseguir levar Luke para o lado sombrio da força. Nossos heróis conseguem escapar de Jabba, se juntam aos rebeldes e decidem se instalar na lua florestal de Endor, lugar escolhido pelo Império para a instalação do gerador do escudo da Estrela da Morte. Leia, Chewbacca e Han, com a ajuda dos habitantes da lua enfrentam os soldados do império; os outros rebeldes tentam destruir a estação bélica; e, enquanto isso, Luke precisa enfrentar seu pai pela última vez.

luke jedi

Cuidado com o lado sombrio da força é narrado em terceira pessoa. O diferencial desse livro em relação aos outros é que o autor incluiu notas de rodapé com informações sobre alguns fatos e algumas explicações, que complementam o entendimento da história. Algumas dessas informações são de coisas que aconteceram nos três filmes da trilogia nova. Também parece que o autor está conversando com quem lê, em vez de simplesmente ser um narrador, e muitas vezes usa a palavra “leitor”.

Assim como nos outros dois primeiros livros dessa série, este também tem algumas cenas que não estão presentes no filme, o que eu acho muito legal, porque contribui para o desenvolvimento da história. Dessa forma, podemos acompanhar mais alguns personagens e ver o seu comportamento em determinadas situações. Um bom exemplo disso é o engenheiro da Estrela da Morte, que foi contratado para construir essa arma, porém gosta de acreditar que ela não será utilizada nunca porque serve apenas como uma forma de intimidar. Tadinho…

Esse livro teve muitos pontos positivos para mim, mas o principal acredito que foi a forma como o autor decidiu mostrar a princesa Leia (e isso foi uma coisa que reclamei no segundo, vocês lembram?). Nos filmes Leia é uma mulher independente, corajosa e capaz de se defender. No livro, ela é exatamente desse jeito. Tem um capítulo chamado “No qual a princesa resgata a si mesma” e é 10/10. Leia sendo a badass que realmente é? Sim, por favor! Tem também um outro momento super fofo envolvendo a princesa e um ewok, nativo de Endor. A única reação que consegui ter foi soltar grande AWWWWWWWN!

leia force
Falando sobre Jabba e suas escravas, fiquei impressionada com a capacidade que Angleberger teve em passar todo o sentimento de repulsa usando apenas as palavras. A maneira como ele descreve o comportamento do hutt em relação às mulheres é nojenta, mas bastante real. Ele também mostrou como elas tentavam fugir das garras desse terrível ser mas não conseguiam – ou eram severamente punidas. Acredito que essa parte me deixou muito mais enojada no livro do que no filme. Foi realmente pesado.

Outra parte que mais impactante no livro foi quando Luke diz para Leia que ela é sua irmã. Ele usa a famosa a frase “A Força é poderosa na minha família. Meu pai tem… eu tenho… e minha irmã tem” (que, inclusive, também está no trailer do episódio VII). Eu fiquei muito ARREPIADA, tive vontade de chorar a envolver os dois num abraço muito apertado e falar EU AMO MUITO VOCÊS E VAI FICAR TUDO BEM (gente, essa família, essas crianças, eu não aguento).

Mas talvez, o mais importante dessa história não seja a vitória da Aliança Rebelde e sim a redenção de Anakin Skywalker. Luke acreditava que ainda havia bondade em Darth Vader e por isso ele poderia voltar a usar o seu antigo nome. No final, ele estava certo. Anakin ainda estava lá dentro, porém completamente destruído, desiludido e cego. Mas vivo. O autor nos lembra que Anakin cumpriu seu destino e restaurou o equilíbrio da Força. E é por isso que quando Luke vê seus antigos mestres, o jovem Anakin apareceu ao lado deles. Porque o que restava de sua alma foi salva e ele finalmente virou parte daquilo que chamamos de a Força.

ani yoda obi wan

Vai ter Hayden na trilogia clássica SIM!!

Acho que esse livro foi um ótimo desfecho para a série criada pela Disney e Lucasfilm. A leitura me deixou ainda mais animada para o dia 17 de dezembro. O jeito como o autor contou a história foi divertido e humano, mostrando todos os lado possíveis dentro de uma guerra. Os toques adicionais foram muito bons, e mesmo que às vezes não tão necessários, davam um gostinho a mais. E esse livro também tem ilustrações, que são uma mais linda que a outra. Foi até difícil escolher uma favorita para colocar aqui.

São livros maravilhosos para quem já é fã e também para quem quer se aventurar pela galáxia ao lado dos nossos heróis. E vamos aguardar ansiosamente porque novos heróis estão chegando, entre eles a Rey, que eu nem conheço mas já considero pacas!

Que a Força esteja com vocês.

festinha

P.S.: não tinha onde encaixar na resenha mas adicionei esse ps porque achei necessário falar que os ewoks são as criaturas mais adoráveis de todo os filmes de Star Wars (sim, eles ganham até do R2-D2, meu amor verdadeiro amor em forma de robô). Deixo vocês com um gif de um deles tentando pilotar uma speeder bike (não é uma gracinha?):

ewok

 

Compartilhe:

Sobre Rovena

Rovena é de Vitória, formada em Relações Internacionais e atualmente cursa Letras-Inglês. Gosta muito de ler e ouvir música enquanto escreve. Grifinória, feminista e especialista em tretas do blink-182. Está no twitter (@rovsn).