Categoria: Folhetim


Era estranho voltar para casa depois de tanto tempo. Nada estava igual, com exceção da árvore no quintal. O outono derrubou as folhas alaranjadas que se quebravam sob os pés da jovem que ia em direção a porta. Em baixo do capacho, uma pequena chave amarela meio enferrujada se contrastou […]

A árvore do nosso quintal



Texto: Cláudia Cruz // Arte: Elisa Gergull A bruxa colocou no caldeirão cinco gotinhas de baunilha, sem parar de bater a massa. Ela nunca havia tentado essa receita antes, e apesar do cheirinho bom de algodão doce, a mistura não estava nada atraente aos olhos. A fumaça rosa que começou […]

Velha infância









Texto: Lara Matos // Arte: Gabriela Amorim O vislumbre Uma mulher de pele escura caminhando apressada pelo corredor, que avistei pela primeira vez pelo turbante muito colorido em meio ao aglomerado na estação, sou como um girassol para pessoas que irradiam beleza assim. Tinha a pele marrom avermelhada pelo sol, […]

Milagres comuns







Texto: Priscilla Binato // Arte: Gabriela Amorim Elisa olhava para o céu e esperava que fosse conseguir sentir alguma coisa vendo aquelas estrelas. Ela estava há tanto tempo presa em um estado de vazio que somente olhar para as estrelas já era de grande ajuda para controlar esse ímpeto de sumir. […]

Estrela Cadente


Texto: Mariana Ferraz Paulino // Arte: Dia de Almeida Era a primeira vez em que Daniel mudava de casa, e para um pequeno indivíduo recém-habituado com determinado lócus de formação de seu caráter situacional, a corrupção espacial significava quase que a morte dos seus ainda prematuros sentidos de familiarização e […]

pequenos dizeres para Daniel – XII




Texto: Bruna Kalil // Arte: Gabriela Schirmer Mauricio Trilho o caminho das pedras pelas ruas de Paris. Passo pelo Arco do Triunfo, feminina etérea triunfante. No próximo instante, me vejo no Moulin Rouge, faço pole dance e saio de lá com ares de charuto e muito dinheiro pelas minhas partes […]

Parisiense por acaso





  – Não fossem os agrados constantes que ele me faz talvez estivesse menos desconfiada, amiga. – Outras reclamariam do contrário. – Outras são menos espertas. Laura riu ao seu lado, afogando o cinismo com um gole de café. Fazia bem aquele cinismo. Era confortável. A cada risinho daqueles os […]

Cansei de ser parva.











No quintal da casa da menina moravam um pé de pitanga, um de jabuticaba, um de limão, um pé de mamão, uma pequena horta com morangos, cebolinha, salsinha, erva doce e pimenta, muitas samambaias e plantas e arbustos rasteiros, dois cachorros e um canário. Fora os moradores oficiais, ainda tinha […]

O buraco no quintal