“Amor Plus Size”, Larissa Siriani


Texto: Clara Savelli // Foto: Aimee Oliveira

Nota editorial: Uma de nossas colaboradoras, a Larissa, acaba de publicar seu romance “Amor Plus Size”. Em vez de alguém da Pólen, resolvemos chamar uma amiga escritora, que acompanhou todo o processo de escrita e publicação, para falar mais sobre APS. 

 

Amor Plus Size é um livro delicioso. Se ele fosse uma comida, seria sua comida preferida. Aquela que você não consegue parar de comer. Da mesma forma, não dá para parar de ler Amor Plus Size. Toda vez que precisei deixar a leitura de lado para realizar alguma atividade corriqueira do meu dia-a-dia, sofri com a ausência da história e dos personagens.

Cheio de referências nerd (me senti muito representada com as menções a Star Trek, Game Of Thrones, Guia do Mochileiro das Galáxias, Vingadores…), o livro é um convite para conhecermos a história de Maitê. A narração começa com a protagonista concedendo uma entrevista para uma repórter da revista Caprichada (amei essa mensagem subliminar? Achei tudo?) e somos conduzidos pelas suas respostas para o passado… Bem antes dela ser uma modelo plus size famosíssima. Na época que ela ainda era uma estudante, cursando o terceiro ano do Ensino Médio e totalmente insegura.

aps

Maitê sofre com seu peso desde que se lembra por gente. Sendo uma adolescente de mais de cento e dez quilos, está mais do que acostumada a ouvir piadinhas infames de colegas de colégio ou típicos comentários de conhecidos e parentes, como “você tem um rosto muito bonito” ou “você seria muito bonita se fosse magra”. Não é novidade que a autoestima da menina é lá no pé, não é mesmo?

Bem que Maitê tenta… Mas com Maria Eduarda – uma menina “perfeita” do colégio, que em outra encarnação deve ter sido cabide de roupa de tão bem que tudo cai nela – infernizando sua vida toda vez que ela simplesmente respira, é bem difícil. E para completar, ainda tem sua própria mãe que mascarada na máxima de “só querer o melhor” para Maitê, é uma completa carrasca que só afunda ainda mais a Maitê em suas tristezas e em seus chocolates. Pelo menos ela tem Lucca, seu irmão de 10 anos, que é um personagem mega cativante e que está sempre a postos para fornecer chocolates na hora precisa (e quer usar um vestido para o casamento do parente distante – achei tendência).
Os personagens são extremamente bem construídos e verossímeis. Todos eles têm suas histórias, seus passados e seus motivos para agirem como agem – até mesmo Maria Eduarda (e essa é uma baita surpresa! Afinal, até a vilã é humana). Maitê tem duas melhores amigas (Valentina e Josiane) que são o sonho de amizade de qualquer um e provavelmente também parecem com as amigas que você tem (ou teve, na adolescência). Elas sempre estão lá, tentando abrir os olhos da Maitê para sua beleza e tirar o foco da menina da balança… E, claro, também sempre estão lá para surtar sobre os crushs da amiga.

Maitê é apaixonada por Alexandre, o cara mais bonito da sala, desde sei lá, sempre. O garoto nunca nem sequer tinha falado com ela, até a professora de geografia inventar um trabalho e os dois acabarem caindo como dupla. Diferente do que eu, como leitora, imaginava, Alexandre é um cara super legal. Não demora para que ele e Maitê se tornem amigos… Só que aí tudo começa a desandar… Não é sempre assim com crushs do colégio? Para mim sempre foi!
No meio de toda essa confusão, Isaac, o melhor amigo de Maitê, que é apaixonado por fotografia, convence a menina a servir de modelo para que ele pudesse testar uma câmera nova de sua coleção. Ela, a contragosto, cede aos pedidos. Os dois passam um dia mega divertido no Ibirapuera e Isaac fica apaixonado pelas fotos de Maitê! Até Maitê fica apaixonada pelas fotos de Maitê! A versão dela fotografada começou a servir de apoio. Todo dia de manhã Maitê olhava para as fotos, a fim de se fortificar e se reafirmar como o ser humano lindo e incrível que era – independente do que os outros diziam.

aps2

Acontece que as fotos vão parar nas mãos de um agenciador de modelos plus size! Por artimanha (e um pouco de sorte, vá lá) de Isaac, é claro! Os dois são amigos desde que começaram a morar no mesmo condomínio e não desgrudam por nada nesse mundo. Daí vocês já sabem… Maitê se torna parte dessa agência de modelos. Só que se você pensa que a partir daí tudo são flores, meu querido, aí que você se engana (e muito!). Afinal, ela continua sendo uma adolescente no final do Ensino Médio, só que agora sai em capa de revistas. Não sabe o que fazer no vestibular, agora que tem uma carreira em paralelo. Está dividida entre dois (possíveis) amores, mas não tem a menor ideia de como se sente. Enfim, está lidando com um monte de confusão!

A sensação principal do livro é que somos todos Maitês. Não porque somos todas adolescentes que pesam mais de 110kg, mas porque todos nós somos (ou fomos) pessoas que sofrem (ou sofreram) diversas inseguranças com relação a nossa aparência, nossos gostos e nossa maneira de agir/pensar. A menina que era alta demais na turma (mais alta que os meninos!) e viveu a vida inteira sendo chamada de “girafa”. A garota que tinha os pés “grandes demais” e ouviu da vendedora que naquela sapataria só tinha “sapatos para mulheres” (baseado em fatos reais da minha vida). O menino que passou todo ensino médio sendo renegado pelas garotas pelos seus gostos nerds “esquisitos” e seu problema com acne. A menina que não tinha peito e a menina que tinha peito de mais. A menina que gostava de meninas, o menino que gostava de meninos e a menina/o menino que gostava dos dois. Rótulos, rótulos, rótulos… Inseguranças, inseguranças, inseguranças…

Somos todos Maitês porque o livro não é (só) sobre obesidade, mas sim sobre aprender a “se dar crédito” (como muitos personagens falaram para Maitê, durante toda história). É sobre aprender a se dar valor, a se amar, a ver uma linda versão de você no espelho, a filtrar comentários maldosos, a acreditar que você é capaz de fazer tudo que quiser. É também sobre aprender a ser empático, entender outros pontos de vista e acolher as diferenças.
Enfim, Amor Plus Size é um livro incrível – que na minha concepção deveria ser adotado em todas as escolas do Brasil, o mais rápido possível. Tenho certeza que ele será capaz de tocar muitos corações e mudar muitas vidas. Fico na torcida para que todos tenham esse momento “sessão de fotos”, que foi tão revelador para Maitê e começou a fazê-la entender sua beleza e seu potencial. Talvez Amor Plus Size sirva, justamente, como catalizador desse momento para diversos leitores.

Larissa Siriani fez um trabalho maravilhoso nesse livro – mas isso não é novidade. Sou fã dela faz mais ou menos 10 anos, quando comecei a ler suas histórias na internet (no finado Orkut). Ela sempre foi uma estrela, mas fico muito feliz que outras pessoas hoje possam conhecer sua luz. Ela sempre me ajudou a acreditar em mim mesma, da mesma forma que eu sempre acreditei muito nela. Desejo imensamente que a Larissa e a Maitê ajudem a renovar o amor próprio de vocês e os façam acreditar sempre nos seus sonhos.

aps3

Agradeço imensamente o convite da revista Polén para escrever sobre esse livro tão lindo! E agradeço a própria Lari, pelos anos de convivência, apoio, carinho e pelo meu nome nos agradecimentos do livro (sou chique, benhê). Também agradeço você, que leu minha resenha! Beijos e até a próxima,

Clara Savelli
Autora de Mocassins e All Stars, Acampamento de Inverno para Músicos (nem tão) Talentosos e Tiete!
Site | Email | Facebook | Twitter | Instagram | Wattpad

Compartilhe: