‘A princesa, o cafajeste e o garoto da fazenda’, Alexandra Bracken


   Original: The Princess, the Scoundrel, and the Farm Boy
   Autora: Alexandra Bracken
   Editora: Seguinte
   Nota: 5 estrelas

A primeira vez que eu vi Star Wars – Episódio IV – Uma nova esperança foi aos dez anos. A minha escola fez uma tarde divertida e levou os alunos para o ginásio e passou o filme. Dezessete anos depois, eu conto os dias para o Episódio VII – O despertar da Força.

Aproveitando que o filme novo vai sair em dezembro, a Disney e a Lucasfilm lançaram três livros que contam a história da trilogia original com o foco totalmente voltado para o público jovem, na esperança que a Força desperte neles o amor pela saga.  O primeiro livro, A princesa, o cafajeste e o garoto da fazenda corresponde ao Ep. IV.  Escrito por Alexandra Bracken, autora da trilogia The Darkest Minds, essa versão de Uma nova esperança é encantadora, divertida e mágica. Ou seja: maravilhosa.

A história todos já conhecem, né? Darth Vader é o mauzão do Império e quer controlar tudo e todos. A princesa Leia, líder da Aliança Rebelde tem planos para destruir a arma mais letal de Vader, a Estrela da Morte. Então, Leia manda uma mensagem para Obi-Wan Kenobi (Ajude-me, Obi-Wan Kenobi. Você é minha única esperança) através do droide mais fofo de toda a galáxia, o R2-D2. Leia envia R2-D2 e C-3PO, um droide de protocolo, para Tatooine. Lá, os droides caem na mão de Luke Skywalker e finalmente chegam à Obi-Wan Kenobi. Os dois precisam de um transporte para salvar a princesa então eles procuram alguém que possa ajudá-los e encontram Chewbacca, um wookie, Han Sol, um contrabandista, e a sua nave, a Millennium Falcon. Depois de viajarem pela galáxia, eles se juntam aos rebeldes para lutar contra a ameaça do Império.

a new hope final

O livro é feito a partir de três pontos de vista: Leia, Han Solo e Luke. Assim mesmo, nessa ordem. Além disso, o livro tem algumas cenas inéditas que não existem no filme, o que eu achei um ponto muito positivo, porque com essa perspectiva nós podemos saber o que se passa na cabeça de cada personagem. Parece que estamos com eles em vez de estarmos apenas observando.

Porém, essa divisão é a maior diferença entre o livro e o filme. Leia, por exemplo, é apresentada no livro quando ela está enviando os droides para Tatooine (e também é assim no filme). E continuamos seguindo a princesa, participando de seus pensamentos, vendo ela fugir de Darth Vader, até o momento em que ela vê a Estrela da Morte em ação e é feita prisioneira. No filme, já teríamos passeado bastante pela galáxia.

Quando somos apresentados à Han e Chewbacca, Luke e Obi-Wan já participam da história, mas ainda não apareceram no livro. Vemos os dois pela primeira vez, na cantina com a música animada, quando o wookie diz para Han que encontrou dois passageiros. É interessante ter um ponto de vista de Han porque ficamos por dentro de todos os seus pensamentos em relação aos Jedi e à Força. Ele é completamente descrente.

leia han

Quando chegamos à parte de Luke, eles já estão na Millennium Falcon novamente e partindo em direção aos rebeldes. Coisas ruins aconteceram e Luke se sente um pouco perdido (isso é muito normal na família Skywalker, eu acho). Tudo muda quando ele vê que os rebeldes estão se preparando para atacar a estação bélica de Vader. Luke participa de treinamentos e finalmente pilota um X-Wing, ao lado de seu fiel droide R2-D2 (assim como seu pai) (são muitos sentimentos por essa família). Luke ter sido escolhido para a última foi também a melhor opção para essa história ser contada porque, afinal, ele é um dos responsáveis pela destruição da Estrela da Morte.

Alexandra, a autora, foi muito feliz na escolha de narrativa e de palavras. Sua escrita é muito gostosa  e a leitura é muito rápida. Na nota da autora ela diz que Uma nova esperança é, principalmente, uma história sobre família e era assim que ela queria escrever. E eu digo que ela conseguiu. Os personagens se importam um com o outro e chegam ao final da sua aventura descobrindo que eles são muito mais do que eles, e os outros, imaginavam.

Foto 08-11-15 01 09 53O livro também é ilustrado e os desenhos são simplesmente maravilhosos. Eles servem para marcar o início de cada nova seção, além de enfeitarem algumas páginas. As ilustrações são das personagens, naves e ainda algumas cenas presentes na história.

Em vários momentos durante a leitura tive vontade de gritar MEU DEUS COMO EU AMO VOCÊS. Morri de rir quando Leia fazia alguma piada com Chewbacca ou com Han e até mesmo quando Luke falava alguma coisa ruim sobre a Millennium Falcon e Han ficava revoltado (novamente, família Skywalker <3). E é claro que, mesmo conhecendo a história, eu fiquei emocionada e terminei o livro chorando.

Uma nova esperança é mais do que um filme que me levou a uma galáxia muito distante. É o que me fez querer contar histórias. Foi meu primeiro passo para um mundo muito maior.

Eu concordo com todas as palavras e pontos finais.

han force

Compartilhe:

Sobre Rovena

Rovena é de Vitória, formada em Relações Internacionais e atualmente cursa Letras-Inglês. Gosta muito de ler e ouvir música enquanto escreve. Grifinória, feminista e especialista em tretas do blink-182. Está no twitter (@rovsn).

  • Rovena

    obrigada <3 <3 <3
    esse livros é muito divertido! ele realmente tem o espírito de star wars, recomendo muito! espero que você goste! 😀

  • Ariel Carvalho

    “isso é muito normal na família Skywalker, eu acho” HAHAHAHAHA

    Você tem uma capacidade de fazer com que eu me interesse por livros que eu achava que seriam péssimos… <33