A noite e o silêncio que canta


Texto: Marília Moreno // Arte: Raquel Thomé

Às vezes no silêncio da noite… brincadeira.
Já se perguntou o porquê da noite atrair tanto artistas e pessoas apaixonadas? Parece que a tranquilidade noturna nos faz ouvir melhor nossas emoções. Como se a lua e as estrelas cantassem alguma antiga canção sagrada e a própria inspiração sussurrasse essa melodia secreta para nós. Talvez seja essa melodia a origem dos nossos sentimentos e criações.
Talvez também seja alguma ideia romântica de como a inspiração nos chega. Quem sabe um mito sobre como as palavras se constroem dentro de nós. A noite, que em seu majestoso mistério já produziu os mais belos versos de amor e os mais fantásticos textos literários, também abraça as lágrimas que correm escondidas, protegidas por seu manto escuro. Ela traz o sonho aos idealistas e conforta os corações partidos. Tudo silenciosamente. Como um afago carinhoso e protetor.
Para quem vive em solidão e para quem a compartilha, a noite é um encontro. Sempre enigmática. A noite é a própria alma de quem sonha, de quem inspira e traz querer. Seu silêncio oculta as escapadas e beijos escondidos, faz renascer o amor e a poesia. A noite é uma espera pelo despertar de quem nunca adormece a imaginação, o conto, a história. A noite se escreve nos poemas brilhantes de almas desconhecidas amantes e amadas aguardando apenas o raiar do sol para, somente então, silenciar-se. 
Compartilhe: