A mitologia do escritor


Quando resolvi pensar nesse post, entrei numa pegada meio Globo Repórter. Vocês conhecem o jargão: onde vivem? Como se alimentam? Como se reproduzem? Sexta-feira no Globo Repórter.

Parece desnecessário, cômico até, mas é engraçado às vezes o quanto a profissão do escritor é mistificada. Existe toda uma mitologia que cerca esse unicórnio da vida real chamado autor, e eu sempre me divirto desfazendo esses mitos. Então resolvi reunir três deles pra dividir (e esclarecer) aqui com vocês.

“Você é escritor@? Nossa, deve ganhar muito dinheiro.: claro, porque num país em que a média de livros lidos por ano é inferior a 5 é possível sim ganhar rios de dinheiro com escrita. Acho que as pessoas tem essa concepção errônea de que escritor só é a) morto de fome, ou b) podre de rico porque ninguém conhece 99,9% dos escritores. A verdade é que a maior parte de nós não apenas escreve, como leva outras carreiras, outros empregos. E embora seja possível viver de escrita, leva (muito) tempo, e dificilmente seremos @ próxim@ J.K.Rowling no quesito poder aquisitivo. Sinto muito.

“Nossa, você deve arrasar nos concursos culturais/redações/respostas para o universo.”: eis uma que ouvi a vida toda das coleguinhas, e não podia ser menos real. Sabe, não existe um botão de liga e desliga pra criatividade. Você não olha pra uma coisa e pensa numa maneira magnífica e elaborada de escrever algo para ela. Já falei com muitos escritores que sentiam dificuldade em canalizar a mesma energia criativa de um livro para outras áreas fora da ficção, e até mesmo para novas ideias. Isso porque a gente não escolhe exatamente o que quer fazer – muitas vezes, somos é escolhidos.

“Mas você não trabalha?”: não. Eu basicamente fico em casa vendo netflix, e aí uma vez por semana eu sento e escrevo quarenta capítulos. Hmpf. Desculpe estragar sua fantasia, migo, mas escrever é um processo longo e doloroso, e enquanto você só chega no produto final, eu não apenas perdi noites escrevendo, como passei meses revisando incansavelmente, acompanhando o processo de idealização do projeto gráfico, me preocupando, e, se der sorte, viajando por muitos lugares pra espalhar meu trabalho. Se você não acha que dá trabalho, então talvez precise rever seus conceitos.

E aí, na sua profissão também existem “mitos” sobre quem você deveria ser? Conta pra mim aqui nos comentários! Vou adorar saber 😉

Compartilhe: