a fugitiva que habita em mim


até hoje
minhas entranhas
conheceram mais fugas
e palavras cobertas de mel e aveia
nas páginas dos livros
que nas páginas do mundo.

até hoje
minhas entranhas
conheceram mais fugas
por meio de seus lábios
e seus dedos tentadores
que por meio de aeroportos.

até hoje
minhas entranhas
conheceram mais fugas
por meio de mentiras
que se banhavam à luz do sol
do que pelas verdades cruas.

o resultado é que
até hoje
fui mais fuga
e história
que gente

 

Sobre a autora: Laura Elizia Haubert, 21 anos. Publicou o livro Sempre o mesmo céu, sempre o mesmo azul (Patuá, 2017) e Ode as nossas vidas infames (Multifoco, 2015) Além de suas obras, já teve onze contos publicados nas antologias da editora Andross, e um conto publicado na Revista Ponto do SESI-SP. Atualmente é mestranda em Filosofia pela PUC-SP, onde também realizou a graduação.

 

Compartilhe: