‘A estrela que nunca vai se apagar’, Esther Earl


   Original: This Star Won’t Go Out
   Autora: Esther Earl
   Editora: Intrínseca

Falar de A estrela que nunca vai se apagar é difícil porque é impossível medir em quantidade de estrelas a vida de uma pessoa. Nesse caso, é especialmente delicado por se tratar da história e vida de uma adolescente que perdeu a sua vida devido a uma doença ridícula.

Esther Earl faleceu aos dezesseis anos de idade. Com doze anos, foi diagnosticada com câncer na tireoide e a sua vida foi uma batalha até o último segundo. Esther não deixou de lutar e de ser feliz em momento algum. Se você ainda não sabe de quem estou falando, pegue seu ‘A culpa é das estrelas’ e veja e dedicatória feita por John Green. A Esther que o inspirou é a mesma que me inspira todos os dias. Ela queria ser uma autora quando crescesse e fico feliz que ela tenha conseguido isso, mesmo que seu livro tenha sido publicado depois que ela foi embora.

‘A estrela que nunca vai se apagar’ é uma coletânea de trechos dos diários de Esther, além de textos de ficção, cartas e desenhos. A biografia também tem participações especiais de seus pais, irmãos e amigos, com relatos e fotos. A introdução foi feita por John Green que, como sempre, faz você chorar quando diz que a história dos dois começou da mesma maneira que todas as mais bonitas histórias de amor começam: com Harry Potter. A biografia de Esther é importante para nos lembrar da pessoa maravilhosa que ela foi, caso algum dia a gente se esqueça (o que eu acho meio difícil!).

Eu imaginei que sofreria muito com o livro, mas Esther é divertida e cativante. Fiquei surpresa com o modo que ela encarou a sua doença. Durante a leitura me peguei pensando várias vezes que eu não teria a força que ela teve (mas conheço uma outra pessoa que ficou forte até o último segundo). Esther não se deixou abalar, não teve medo de enfrentar o que estava por vir. Foi Esther que deu esperança para seus familiares e seus amigos. Confesso que chorei na parte em que seu pai nos conta como foi o momento da morte da filha. Essa passagem é bonita e vemos uma menina de apenas 16 anos com um preparo para enfrentar a morte de um jeito surpreendente.

Esther Earl, enquanto estava viva e depois de sua morte, inspirou e motivou milhares de pessoas, principalmente as comunidades da Nerdfighteria e de Harry Potter. Atualmente temos o Esther Day, um dia para celebrar o amor por amigos e família (3 de agosto). Seus pais, Wayne e Lori Earl fundaram a organização This Star Won’t Go Out, que ajuda famílias de crianças com câncer. Esther também tem a sua própria festa na LeakyCon (chamada agora de GeekyCon). O ‘Esther Earl Rocking Charity Ball” é um jeito de lembrar e celebrar a vida de Esther.

Se eu pudesse falar uma coisa para Esther seria: obrigada. Obrigada por ajudar milhares de pessoas e por nos mostrar que mesmo nas horas mais difíceis, nós podemos continuar sorrindo e amando a vida. Obrigada por ser um exemplo para tantas pessoas. Uma coisa é certa: a sua estrela nunca se apagará em nossos corações. Rest in Awesome, Esther.

Compartilhe:

Sobre Rovena

Rovena é de Vitória, formada em Relações Internacionais e atualmente cursa Letras-Inglês. Gosta muito de ler e ouvir música enquanto escreve. Grifinória, feminista e especialista em tretas do blink-182. Está no twitter (@rovsn).